Formação Sindical

Observatório Emprego

Portuguese English French German Italian Russian Spanish
Agenda Sindical

 

 

20 de Dezembro (por tempo indeterminado):

Greve (de duas horas) na Setofresa & Associados, empresa metalomecânica na Mitrena (Setúbal), para exigir o aumento dos salários e do subsídio de refeição e a melhoria das condições de trabalho.

Fonte: FIEQUIMETAL

2 de Abril (por tempo indeterminado):

Greve (de 2 horas por turno) dos trabalhadores da Inapal Plásticos com vista a encontrar um entendimento/compromisso com a empresa sobre matérias constantes do Caderno Reivindicativo.

Fonte: CGTP-IN

11 de Maio (por tempo indeterminado):

Greve (1 hora por turno) dos trabalhadores da Tegopi, empresa de fabrico de torres eólicas, contra injustiças salariais e por respostas ao seu caderno reivindicativo.

Fonte: FIEQUIMETAL

26 de Agosto (por tempo indeterminado):

Greve (todos os domingos) dos trabalhadores da Vanpro Assentos Lda, empresa fornecedora da Autoeuropa, contra a imposição da alteração dos horários de trabalho.

Fonte: FIEQUIMETAL

29 de Outubro (até final do ano lectivo):

Greve nacional (ao trabalho suplementar) dos professores, pela contagem integral do tempo de serviço e contra a fixação de horários de trabalho ilegais.

Fonte: FENPROF

1 de Novembro (por tempo indeterminado):

Greve (às horas extra) dos técnicos da Fundação Centro Cultural de Belém (FCCB), convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores de Espetáculos, do Audiovisual e dos Músicos (CENA-STE), devido à utilização abusiva do trabalho suplementar.

Fonte: CENA-STE

5 de Novembro (por tempo indeterminado):

Greve (ao trabalho suplementar) dos estivadores em todos os portos nacionais (excepto o de Setubal, que terminou a 14/12), até que haja um contrato coletivo de trabalho.

Fonte: CGTP-IN

20 de Novembro 2018 a Outubro 2019:

Greve nacional (21 dias) dos juízes portugueses, aprovada em assembleia geral, como medida de protesto para alcançar um acordo global e estável para a revisão completa do EMJ.

Fonte: ASJP

4 de Janeiro a 4 de Outubro:

Greve ao trabalho não remunerado dos Oficiais de Justiça devido à falta de reconhecimento ao trabalho obrigatório, sem qualquer tipo de remuneração e reconhecimento, em especial para efeitos do regime de aposentação.

Fonte: SOJ

7 a 31 de Janeiro:

Greve dos funcionários judiciais em diferentes tribunais e outros organismos do sistema judiciário, pela renegociação do estatuto profissional, a tabela remuneratória, matérias relacionadas com o ingresso na carreira, entre outros.

Fonte: SFJ

16 de Janeiro a 1 de Julho:

Greve dos estivadores do porto Praia da Vitória, nos Açores, em defesa da liberdade de filiação sindical e melhores condições de trabalho.

Fonte: SEAL

17 de Janeiro:

Concentração de bombeiros sapadores e municipais, junto ao Conselho de Ministros, em Lisboa.

Fonte: STAL

22 a 25 de Janeiro:

Greve (turnos manhã e tarde) dos enfermeiros, nas ARS's de Lisboa e Vale do Tejo, Centro, Norte, Alentejo, Algarve e Açores, por  falta de resposta das ARS e do Governo, sobre descongelamento das progressões e pela admissão de mais enfermeiros.

Fonte: SEP

22 de Janeiro a 5 de Fevereiro:

Greve (pré-aviso) dos bombeiros sapadores de Lisboa, convocada pelo STML, contra a aposentação sem direitos e contra a destruição da carreira.

Fonte: STML

23 de Janeiro a 31 de Dezembro:

Greve a todo o trabalho extraordinário dos guardas prisionais do Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL), paralisação marcada pelo Sindicato Nacional da Guarda Prisional.

Fonte: SNCGP

25 de Janeiro:

Greve nacional e concentração dos técnicos auxiliares de saúde, em defesa da reconstituição da Carreira, que lhes foi retirada em 2009.

Fonte: STFPSSRA

25, 26 e 27 de Janeiro:

Greve (nacional e por distritos judiciais) dos Magistrados do Ministério Público, pela revisão do estatuto do Ministério Público e pelos direitos dos magistrados.

Fonte: SMMP

28 de Janeiro e 4 de Fevereiro:

Greve dos trabalhadores da área comercial da Soflusa pela valorização da carreira de agente comercial e por novas contratações.

Fonte: FECTRANS

 

contra a imposição de alterações ilegais de horários de trabalho